RESOLUÇÃO 01/15

Resolução 01/15 da comissão deliberativa do programa de pós-graduação em ecologia da UFRJ, redefine normas para a organização e funcionamento dos comitês de acompanhamento do PPFE-UFRJ.
                  Saiba Mais

Art. 1. A Comissão Deliberativa do Programa de Pós-Graduação em Ecologia, no uso de suas atribuições regimentais, revoga a resolução 01/14 da própria Comissão Deliberativa do PPGE-UFRJ. 


Art. 2. Objetivos: a função principal dos comitês é promover a excelência na formação discente, através de um acompanhamento contínuo e profundo dos alunos, envolvendo tanto o desenvolvimento da dissertação ou tese, como as disciplinas e atividades acadêmicas que desenvolve. Para os alunos do mestrado, a primeira reunião do comitê é o exame de qualificação.

Art. 3. Atribuições específicas do comitê de alunos do Mestrado:
§1. Avaliar na primeira reunião se a estrutura, profundidade, desenvolvimento do projeto e o conhecimento do tema pelo aluno demonstram que tem qualificação suficiente para conclusão de uma dissertação de mestrado dentro do prazo previsto (24 meses) e para o título de Mestre em Ecologia.

Art. 4. Atribuições específicas do comitê de alunos do Doutorado:
§1. Definir, em conjunto com o aluno, a época mais apropriada para realizar o exame de qualificação, e sugerir uma banca apropriada de examinadores. Os próprios membros do comitê podem formar esta banca, caso seja considerado apropriado.

Art. 5. Atribuições comuns a todos os comitês, Mestrado e Doutorado:
§1. Auxiliar o aluno e orientador na definição de um plano geral de estudos e de pesquisa dentro de seus objetivos de formação e de carreira.
§2. Discutir questões gerais relativas ao aluno e seu projeto de pesquisa, e quaisquer outras questões que o aluno necessite de sugestões e apoio. O Comitê de Acompanhamento é uma forma de o aluno receber apoio individual de docentes além de seu orientador.
§3. Definir, em conjunto com o aluno, a época prevista para entrega da primeira versão da tese/dissertação à pré-banca, assim como a realização da defesa. A composição da banca de defesa deve ser definida o mais cedo possível, considerando também uma data apropriada para todos os membros.

Art. 6. Composição: cada aluno terá um comitê de acompanhamento, que consistirá de pelo menos três docentes, um deles o orientador e mais dois docentes.
§1. Pelo menos um dos membros deve ser de uma grande linha de pesquisa distinta daquelas em o aluno está envolvido.
§2. O orientador será o presidente do comitê, co-orientadores podem ser membros respeitando-se a norma de, pelo menos um docente, ser de linha de pesquisa distinta daquela em que o aluno está envolvido.

Art. 7. Indicação: o orientador deve indicar um dos membros do comitê à comissão deliberativa logo após a matrícula do aluno. A comissão deliberativa avaliará as indicações podendo sugerir alterações na composição.

Art. 8. Periodicidade e prazos: as reuniões serão anuais, sendo obrigatória a reunião de todos os membros do comitê na primeira reunião para avaliar o plano de dissertação ou tese, na forma de uma apresentação pública.

Art. 9. Relatório anual: deve ser entregue aos membros do comitê, antes de cada reunião, um relatório resumido contendo o projeto atual (5 páginas), resultados preliminares, disciplinas cursadas, dificuldades encontradas e mudanças no projeto inicial, cronograma de atividades para o desenvolvimento da dissertação/tese (total de no máximo 10 páginas).

Art. 10. Primeira reunião do comitê: deve ser uma apresentação pública, com duração de 15 min. no mestrado, e 20 min. no doutorado, com posterior arguição pelo comitê. As diferentes etapas do trabalho deverão ser ordenadas em um cronograma tendo em mente que a pré-banca será apresentada em novembro-dezembro. 
§1. Agendamento da primeira reunião: deve ser feito até 31 de julho para o mestrado e 31 de outubro para o doutorado, em comum acordo com os membros do comitê, e comunicado à secretaria do PPGE com antecedência mínima de 15 dias para divulgação e agendamento de sala.

Art. 11. Reuniões posteriores: devem ser realizadas anualmente, podendo ser feitas individualmente com os membros do comitê.
§1. Data limite para realização das reuniões posteriores: sempre até 31 de julho, tanto para o mestrado como para o doutorado. Art. 12. Formulário de acompanhamento: em todas as reuniões será preenchido um formulário por cada membro do comitê, que o aluno deve entregar na secretaria do PPGE após a reunião com todos os membros. Este formulário ficará à disposição dos alunos e membros do comitê para consulta.

Art. 13. Reprovação: caso o aluno não seja aprovado, terá mais 2 meses para preparar uma nova apresentação no caso do mestrado, e 4 meses no caso do doutorado. Nova reprovação resultará no desligamento do aluno do programa.

Art. 14. A matrícula do semestre seguinte ficará condicionada à entrega do formulário único assinado.

Art. 15. A presente Resolução entra em vigor nesta data e revoga as demais disposições em contrário.

ABECO

A Associação Brasileira de Ciência Ecológia e Conservação (ABECO) é uma sociedade científica para profissionais que atuam na pesquisa, aplicação e ensinos das Ciências Ecológicas no Brasil: pesquisadores, docentes, técnicos e estudantes.
                  Saiba Mais

A ABECO integrará profissionais que trabalham na produção e aplicação da ciência ecológia e da conservação, seja na pesquisa, em universidades e institutos, na docência superior ou como pós-graduandos em organizações não-governamentais e em empresas públicas e privadas. 

Destaca-se entre suas metas: integrar e oorganizar profissionais ativos nesta área;
Representar a comunidade de pesquisadores perante órgãos governamentais, agências financiadoras públicas e privadas, e outras entidades; Consolidar a imagem profissional dos pesquisadores em ecologia e divulgar os resultados da pesquisa ecológica realizada no Brasil, no âmbito acadêmico, governamental e público; Promover o uso do conhecimento existente para a solução de problemas e o aperfeiçoamento de políticas públicas ambientais; Vincular-se à entidades afins noo Brasil e no exterior. 

Para maiores informações, visite o site da ABECO:

http://www.abeco.org.br/web

OECOLOGIA AUSTRALIS

O OECOLOGIA AUSTRALIS expande e passa a aceitar artigos regulares, não apenas de revisão. Notas e artigos de opinião sobre temas relevantes em Ecologia também passam a ser aceitos a partir de abril de 2013. Desde 2010, Oecologia Australis está indexada na base de dados Scopus/Elsevier, SEER/IBICT, Scientific Commons, Dialnet, Latindex e Google Scholar. Acesse o site da revista.

OECOLOGIA AUSTRALIS

O Oecologia Australis (OA) é um periódico internacional de acesso aberto e baseado em assinatura. A OA promove a pesquisa internacional ...

EDITAL 2017.1

O Prof. Dr. Carlos Eduardo de Viveiros Grelle, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGE...

© 2016 Programa de Pós Graduação em Ecologia - UFRJ. Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução comercial do material exposto.
Produzido com por DAP